Blog Droz Droz

Afinal, o futuro do varejo é através do e-commerce?

Afinal, o futuro do varejo é através do e-commerce?

A tecnologia transformou o modo como as pessoas se comunicam, compram e se relacionam com marcas e empresas. A participação do e-commerce no comércio em geral aumenta a cada ano e, no Brasil, o crescimento foi de 22,7%, somente em 2019. Essa tendência foi acelerada com as medidas de distanciamento social decorrentes da pandemia de Covid-19. De portas fechadas, muitos estabelecimentos viram nas vendas online uma forma de atravessar a crise e superar as perdas do período, tornando o futuro do varejo com um destino mais certo.

Com mais de 4 bilhões de pessoas acessando a internet em todo o mundo, o universo de possibilidades para o setor varejista é atrativo. Abrange, por exemplo:

  • Lojas virtuais;
  • Marketplaces;
  • Vendas por redes sociais;
  • Televisão digital.

Ao analisar o cenário atual e as perspectivas para o segmento, uma pergunta fica no ar: o futuro do varejo é através do e-commerce?

O futuro do varejo: E-commerce em números

E-commerce no Brasil tem pouco mais de duas décadas e, antes da pandemia, respondia por 5% das vendas do varejo. Atualmente, 51% dos consumidores brasileiros utilizam sites para realizar compras, segundo pesquisa global da plataforma Wirecard.

Em janeiro desse ano, a previsão de representantes do setor era de que a participação do mercado digital no varejo triplicasse nos próximos cinco anos, um crescimento impulsionado principalmente por aplicativos de compras, supermercados e farmácias.

As previsões foram sacudidas pela pandemia que, subitamente, mudou cenários e expectativas. Para se ter uma ideia, as vendas globais pela internet cresceram 28% em junho desse ano, em comparação ao mesmo mês de 2019.

No Brasil, o faturamento em abril foi R$ 9,4 bilhões, uma expansão de 81%, em relação ao mesmo período de 2019, segundo levantamento do Compre&Confie. O destaque ficou por conta dos:

  • Alimentos e bebidas;
  • Instrumentos musicais;
  • Brinquedos;
  • Eletrônicos.

Benefícios do comércio eletrônico

O desempenho do e-commerce em números é apenas uma das razões para investir na modalidade. As vantagens para o varejo englobam o potencial de ampliação do alcance dos negócios, de atração de novos clientes e de construção de uma marca sólida.

Do ponto de vista do consumidor, há a praticidade, segurança e comodidade de comprar sem sair de casa, com apenas alguns cliques. Além disso, a internet facilita a pesquisa sobre produtos e a comparação de preços antes da tomada de decisão.

Para empresários e empreendedores, os benefícios podem abarcar redução de custos, aumento da segurança, automação de processos e geração de relatórios para mensuração dos resultados.

O modelo permite concentrar a experiência do consumidor e as diversas etapas de compra em um único lugar. Somado a isso, propicia a integração dos canais de comunicação e rompe as barreiras geográficas na conquista de clientes.

Perspectivas para o futuro

Ao chegar até aqui, você deve estar se perguntando: qual o papel do e-commerce no futuro do varejo?

O crescimento do comércio eletrônico tem sido superior ao do varejo tradicional nos últimos anos, o que não significa que as lojas físicas serão substituídas pelas virtuais. Os dois modelos se complementam e devem coexistir no presente e no futuro.

Cabe ao segmento varejista pensar estratégias para unificar e contemplar as duas formas, ampliando as possibilidades de chegar ao consumidor, oferecer seus produtos e serviços, concretizar vendas e fidelizar o público.

Deixe uma resposta

Assine nossa newsletter​